Santo Sudário de Turim

 

No âmbito da cadeira de Sociologia e Semiótica da Arte tomei a liberdade de retratar uma obra de arte que ao longo de décadas tem sido foco de varias discussões e vários debates entre a comunidade científica e a igreja católica.

O Santo Sudário de Turim ou Santo Sudário é um pano de linho, onde nele esta impregnada a imagem de um homem aparentemente com sinais de traumatismos físicos originários de uma crucificação. Este pano de linho encontrasse atualmente na Catedral de Turim em Itália desde o século XIV e desde 1983 que é propriedade do Vaticano.  A peça em questão segundo os fieis cristãos e com o reconhecimento do Vaticano é o pano de linho que envolveu Jesus Cristo após a sua crucificação e consequente morte, é de tal forma valioso que raramente é exibido em publico, a ultima vez que isso aconteceu foi em 2010 e levou a Catedral de Turim cerca de 50 mil visitantes.

Mas existe uma grande controvérsia a volta da verdadeira historia do Santo Sudário. A primeira menção que é feita a este pano de linho aparece na Bíblia, o evangelho de São Mateus (27:59) refere que “José de Arimateia envolveu o corpo de Jesus num pano de linho limpo”, após esta menção, nada mais se soube do pano nem o que lhe terá acontecido após Jesus ter ressuscitado, só em meados do século XIV é que se dá a sua aparição definitiva, aparece em Troyes na França por volta de 1349 em poder do Senhor de Lirey, Godofredo de Charney.  Carlos VI de França, Rei de frança na altura proibiu que a imagem fosse adorada pelos fieis, mas a sua mística e simbologia crescia de dia para dia reunindo um considerável número de admiradores que manteriam a obra em exibição em varias igrejas de França.

Em 1389 o Bispo de Troyes Pierre d’Arcis denunciou a suposta relíquia como um embuste, uma fraude e que nada mais era que uma pintura realizada por um talentoso pintor. O Bispo fundamentava a sua posição mencionando que fora o próprio artista que lhe mencionara a verdade, aquele que todos pensavam ser o pano de linho que envolver Jesus Cristo após a sua morte era apenas uma pintura de grande precisão. A obra foi assim escondida na Casa de Saboia, com a finalidade de ser esquecida com o passar dos séculos.

A 28 de Maio de 1898, o fotografo de Secondo Pia tirou a primeira fotografia ao Santo Sudário e a quando da revelação desta reparou em algo muito curioso, ao revelar a fotografia reparou que esta se assemelhava em si a um negativo. 

Esta historia não caiu no esquecimento da humanidade, e virou um mito. Em 1973 com alguma tecnologia de ponta já existente, uma equipa internacional de cientistas começou a fazer as primeiras análises de laboratório ao Santo Sudário. Os primeiros resultados demonstravam que a imagem era composta por inúmeras gotículas de ocre, o pouco mais lhe foi permitido analisar visto que o pano fora disponibilizado por um curto espaço de tempo. Em 1878, uma equipa Americana do STURP (Shroud of Turin Research Project), teve acesso ao pano durante 120 horas. Esta equipa era composta por 40 cientistas, dos quais apenas um não era católico e foram feitos todo tipo de testes que envolvem varias áreas da ciência, desde fotografias com diferentes tipos de filmes, radiografias de raios-X, raios-X com fluorescência e infravermelhos, mas nenhuma mostrou com exatidão se esta relíquia se trata de um embuste ou e na realidade o pano que envolveu Jesus Cristo após a sua morte. Quando estes cientistas já quase em desespero tentam uma ultima tentativa de descobrir a autenticidade do santo sudário através de um teste de datação a carbono, o Vaticano interveio e cancelou a pesquisa do pano.

Os defensores do Santo Sudário como relíquia, creem piamente que a imagem que ali esta ficou impregnada é originaria dos raios gama que ocorreram no momento em que Jesus Cristo ressuscitou, mas os vestígios de sangue no Sudário levantam uma questão incontornável. A imagem tem vestígios de sangue, mas pelo que se sabe das práticas funerárias do Século I, os judeus perfumavam e limpavas os corpos dos seus mortos antes de os sepultarem, e sendo Jesus uma personagem tão emblemática e amada pelos seus seguidores era muito improvável que o tenham envolvido num pano de linho sem eliminaria a presença de vestígios de sangue.

Perante esta tória o Vaticano conta pôs, dizendo que Jesus fora sepultado a pressa devido ao descanso Sabático no dia de preparação para a Páscoa, daí o corpo teria sido guardado com intenção de o prepararem no primeiro dia da semana após Sábado, mas o tumulo já estaria vazio, pois segundo os cristãos entre tanto se deu a ressurreição.

A igreja católica pela mão do Vaticano, nunca formalizou uma opinião muito incisiva no que diz respeito à autenticidade do Santo Sudário de Turim, mas também usou sempre de toda sua influência e poder para deixar esta duvida no ar. A posição oficial do Vaticano nesta questão que dura e séculos, é a de que cada pessoa, cada crente deve ter a sua decisão pessoal no que diz respeito a esta relíquia.

O papa João Paulo II confessou que se emocionou a primeira vez que viu o Santo pano de linho, mas afirmou que uma vez que não se tratava de uma questão de fé nem de igreja diretamente não achava conveniente emitir uma opinião publica e convidou mesmo a comunidade cientifica a continuar com as suas investigações, mas após a sua morte o assunto parece ter sido sepultado com o antigo papa, o Vaticano mais uma vez tenta que o assunto possa cair no esquecimento.

A minha escolha por este tema e mais especificamente esta obra de arte, recai no fato de ser um dos maiores enigmas da igreja católica, a busca pela autenticidade do Santo Sudário dura há séculos, cientistas, pintores, fieis da igreja católica e ate mesmo seus representantes, todos entram nesta discussão com as suas teorias e suposições, mas nunca se chegou a uma conclusão exata, daí esta obra não ser uma obra do passado, mas sim uma obra contemporânea que será sempre atual até alguém descobrir a verdade. Afinal o Santo Sudário é o verdadeiro pano de linho que envolveu Jesus Cristo após a sua morte ou será mais um embuste para pender os católicos a sua fé? Deixo a questão no ar…

 

Bibliografia Electrónica:

http://www.lepanto.com.br/catolicismo/ciencia-e-fe/provada-a-autenticidade-do-santo-sudario/

http://www.jackbran.pro.br/Santo%20Sudario/santo_sudario_de_turim.htm

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sud%C3%A1rio_de_Turim

 

 

Tiago de Castro PG20948

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: