SIMBIOSE ARTE/PUBLICIDADE

A nossa vida é repleta de música e imagens. Atrevo-me a dizer que sem música o mundo seria mais vazio. A música por si só é uma forma de arte, é constituída por vários sons e ritmos.

A música é uma das mais rápidas formas de comunicação, é uma linguagem universal e exerce uma influência sobre nós.

Através da música podemos transmitir muito do que sentimos. Quase todas as pessoas associam uma música a um lugar, a uma data, a um momento da vida.

A música é uma espécie de terapia acessível a todos, pois identificamo-nos com a mensagem que ela transmite. Quando estamos tristes temos tendência para ouvir músicas mais calmas, para estarmos sozinhos e por vezes até chorar. Isto acontece porque sentimos as palavras, a composição da música, é algo que circula dentro de nós e por vezes não conseguimos expressar. Assim ao ouvir a música, as tristezas, os sentimentos desorganizados vão se organizar e no fim sentimo-nos mais reconfortados mais calmos.

Mas o contrário também acontece, quando estamos felizes ouvimos músicas mais alegres, temos vontade de dançar, de expressar a nossa felicidade.

Uma razão pela qual temos em nós a música tão enraizada é devido aos filmes, jogos, anúncios publicitários. Infiltram-se no dia-a-dia de uma forma subtil e incontrolável.

Se visionarmos um anúncio publicitário ou um filme sem música, torna-se um momento maçador, mais pesado, deixando o espectador num estado mais stressante mais inseguro. Esta situação é utilizada por exemplo para filmes de terror, violência, sinistralidade rodoviária, entre outros. Como não existe música não existe distrações, não há divertimento assim o único foco é a essência que o anúncio/ filme quer transmitir.

Mas se quisermos um objetivo totalmente oposto, se quisermos colocar alguma jovialidade, ou diversão o estilo da música tem de ser mais mexido, alegre, etc. Algo que mexa com a pessoa que está a ver o anúncio/ filme e que faça ter vontade de visitar o local, de comprar aquele produto, de ver aquele filme.

Sabemos que uma imagem vale mais que mil palavras, sabemos também que a música fala por si só, mas a junção entre elas é quase perfeita.

A imagem está lá mas com a ajuda da música as nossas emoções estão mais presentes, é como um acompanhante, indica-nos onde ter medo, onde devemos sentir tristeza, onde rir, etc.

Neste anúncio Lovehasnolabels.com, mostra que não temos de ser todos iguais e que a perfeição simplesmente não existe. Por si só o vídeo mostra que não devemos ter preconceito, não devemos ter ideias pré concebidas e que não devemos julgar as pessoas com base naquilo que vêem. Mas a música escolhida faz com que as pessoas recebam melhor a mensagem. Estão a receber informações não só visuais, mas também auditivas.

A música aborda temas como a homossexualidade, a religião, a raça e que simplesmente não conseguimos mudar, somos o que somos e é assim que nos devemos aceitar e respeitar mutuamente. Liga-se assim na perfeição com o vídeo.
Verificamos que apesar de ser de sexos diferentes, com filhos adotados, com raças diferentes e até com deficiência o amor existe. E com ele existem vários tipos de amor, como por exemplo o amor de sangue ou o amor de amizade, em suma o amor.

O amor simplesmente não tem preconceitos, então porque deveremos ter preconceito uns dos outros?
Existem várias barreiras a nível social, mas a que mais assistimos no nosso quotidiano é a nível homossexual e a adoção de crianças com pais do mesmo sexo. Apesar da controvérsia as pessoas simplesmente não entendem que no fundo o que existe são seres humanos a amarem-se, a amarem um filho ou a amarem o próximo.
Este vídeo pretende sensibilizar as pessoas e apelar a uma realidade atual: o preconceito. Com a ajuda da música torna-se um vídeo refletivo e emotivo. Demonstra que na sociedade de hoje em dia, ao observarmos o esqueleto das pessoas a dançarem, a abraçarem-se e a beijarem-se imaginam “um mundo perfeito “, no qual não sabemos a condição física, psicológica ou emocional de cada um, imaginado que são famílias ou pessoas consideradas como “normais”. Quando reveladas as suas condições enquanto ser humano naquele momento, aquilo que para alguns parecia “normal” devido ao filtro de informação, torna-se confuso nem que seja por breves instantes. Com este vídeo penso que certamente muitas pessoas viram para além daquilo que nos caracteriza superficialmente, e conseguiram pôr de parte certos preconceitos, e perceber que o amor cabe em qualquer lugar.

A música ajuda a passar de forma mais ligeira uma mensagem sensível.
Somos todos humanos e sob essa condição não escolhemos como somos bem como não podemos mudar significado da palavra amar.

Elma Oliveira PG28271

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: